Páginas

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Mande seu artigo genealógico para cá

Por João Felipe da Trindade
jfhipotenusa@gmail.com

Se você quer escrever sobre seus antepassados e tem algumas fotografias de velhos parentes, de velhos casarões, de velhas fazendas, mande para aqui para publicarmos. Dessa forma, você pode ajudar a reconstruir a história do nosso povo.

Muitos dos seus ascendentes e parentes deixaram alguma coisa escrita sobre seus familiares, outros tantos tem fotografias que podem se perder com o tempo. 

Você tem alguma partilha de bens, testamentos, inventários, ou outro documento histórico de sua família, então cuide de digitalizar e dar um destino útil a eles, caso contrário irão por lixo, mais adiante.
As lendas que ocorrem na sua família podem deixar pistas importantes para a Genealogia dos seus ascendentes ou da suas cidades.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Casamentos na Serra de João do Valle

Por João Felipe da Trindade
jfhipotenusa@gmail.com

Nos registros da Freguesia do Assú, encontramos alguns casamentos na Serra de João do Valle, onde o celebrante era o padre Manoel Fernandes Pimenta da Silva Vejamos alguns desses.

Aos dois dias do mês de março de mil oitocentos e vinte e quatro, pelas nove horas da manhã, no Oratório de São José da Serra João do Valle, me presença do Reverendo Manoel Fernandes Pimenta da Silva e das testemunhas abaixo nomeadas, de minha licença, se receberam por esposos presentes: Antonio Ferreira de Almeida e Clara Maria da Conceição, meus fregueses: o esposo de idade de vinte e nove anos, filho legítimo de José Ignácio de Freitas e Catharina Ferreira de Almeida: a esposa de idade de trinta anos, filha legítima de Antonio de Crasto Lima e Izabel Maria da Conceição, natural da Freguesia do Apodi, donde apresentou seus papéis sem impedimento; o nubente natural deste Assú, e ambos nele moradores, onde se fizeram as denunciações nupciais sem impedimento, e logo lhes deu as bençãos matrimoniais, sendo primeiramente confessados e examinados na Doutrina Cristã, presentes por testemunhas José Gomes da Motta, casado, e Manoel Marreiros da Purificação, solteiro, todos deste Assú; e para constar fiz este assento em que me assinei. Joaquim José de Santa Anna, pároco do Assú. Os nubentes eram pardos

Aos quatro dias do mês de Maio de mil oitocentos e vinte e quatro, pelas novas horas da manhã, na Serra de João do Valle, em presença do Reverendo Manoel Fernandes Pimenta da Silva, e das testemunhas abaixo nomeadas, de minha licença, se receberam por esposos presentes Miguel e Joanna, escravos do capitão João Franco, meus fregueses; o nubente do gentio, de idade de cincoenta anos, pouco mais ou menos; a esposa de idade de trinta anos, natura deste Assú, , e filha natural de Luiza, também escrava do mesmo capitão; ambos esposos moradores nesta Freguesia de São João Baptista do Assú, onde se fizeram as denunciações nupciais, sendo primeiramente confessados e examinados na Doutrina Cristã, presentes por testemunhas Francisco da Silva Bastos, casado, e José Gonçalves de Oliveira, casado, todos deste Assú; e para constar fiz este assento em que me assinei. Joaquim José de Santa Anna, pároco do Assú. Os nubentes eram pretos.

Aos vinte dias do mês de Maio de mil oitocentos e vinte e quatro, pelas onze horas da manhã, no Oratório de São José da Serra de João do Valle, em presença do Padre Manoel Fernandes Pimenta da Silva, e das testemunhas abaixo nomeadas, de minha licença, se receberam por esposos presentes Joaquim José de Sana Anna e Anna Francisca, meus fregueses: o esposo natural da Freguesia de Nossa Senhora do Pilar, donde apresentou seus papeis desimpedidos, de idade que quarenta anos, filho natural de Anna dos Santos; a esposa de idade de vinte e oito anos, filha legítima de Custódio Gomes e Anna Rosa, natural da mesma Freguesia de Nossa Senhora do Pilar, donde apresentou também seus papéis livres, e desembaraçados, e por se acharem dispensados, e terem cumpridos as penitências que lhes foram impostas, e moradores neste Assú, onde se fizeram as denunciações nupciais, sem impedimento; e logo lhes deu as bençãos matrimoniais, sendo primeiramente confessados e examinados na Doutrina Cristã, presentes por testemunhas Felis Peixoto  e Francisco Antonio, que assinou em cruz, casados, todos desta Assú, e para constar fiz este assento em que me assinei. Joaquim José de Santa Anna, pároco do Assú. Os nubentes eram Pardos

Aos dois dias do mês de setembro de mil oitocentos e vinte e quatro, pelas onze horas da manhã, no Oratório de São José da Serra de João do Valle, em presença do Padre Manoel Fernandes Pimenta da Silva, e das testemunhas abaixo nomeadas, de minha licença, se receberam por esposos presentes Miguel Antonio Peixoto, e Maria Joaquina da Fonseca, meus fregueses, por se acharem dispensados do impedimento em que estava ligados e terem cumprido a penitência, que lhes foram impostas: o esposo tem de idade vinte e sete anos, filho legítimo de Manoel Geris Peixoto e Francisca Maria da Conceição: a esposa de idade quinze anos, filha legítima de José Gomes da Mota e Francisca Maria Victória, naturais e moradores deste Assú, onde se fizeram as denunciações nupciais, sem impedimento, e logo lhes deu as bençãos matrimoniais, sendo primeiramente confessados e examinados na Doutrina Cristã, presentes por testemunhas João Franco de Oliveira Lisboa e Felis Peixoto da Anunciação, casados, todos deste Assú. E para constar fiz este assento em que me assinei. Joaquim José de Santa Anna, pároco do Assú. Os nubentes eram brancos.

domingo, 25 de agosto de 2013

Joaquim Calistrato de Almeida Leitão (2º)

Por João Felipe da Trindade

A família Leitão de Almeida está presente no Rio Grande do Norte, através do português José Leitão de Almeida, que lecionava em Recife,  tendo destaque na nossa política, Agostinho Leitão de Almeida e Joaquim Leitão de Almeida.

Do professor José Leitão de Almeida descende Joaquim Calistrato. Vejamos um dos seus casamentos:

Aos vinte e seis de setembro de mil novecentos e trinta e sete, às 15 horas, em Oratório Particular, à Rua Camboim, 734, desta cidade episcopal do Natal, capital do Rio Grande do Norte, e freguesia de Nossa Senhora da Apresentação, onde se acha doente o nubente, depois de feitas as habilitações canônicas e demais formalidades prescritas, não aparecendo impedimento algum, quer canônico, quer civil, como se vê do processo que, sob o numero 17.086, fica arquivado nesta freguesia, por palavras de presente, na forma do ritual romano, em minha presença e na das testemunhas Antonio Fernandes Sobrinho, casado, funcionário público com 35 anos, natural da Paraíba, e Umberto Cocentino, casado, comerciário, com 25 anos, natural de Ceará-mirim, e residentes na rua Camboim, receberam-se em matrimônio Joaquim Calistrato Leitão de Almeida, e Ana Alcina de Araújo, ambos naturais deste bispado, e residentes nesta freguesia; ele, militar reformado, com 80 anos de idade, filho legítimo de Joaquim Calistrato Leitão de Almeida e de Maria Francisca Leitão de Almeida, ambos já falecidos, viúvo 2 vezes: de Maria Leitão de Almeida, filha legítima de Justino Leitão de Almeida e Guilhermina da Costa Ferreira; e de Maria José da Costa Alecrim, filha de Antonio da Costa Alecrim e de Justina da Costa Alecrim; ela solteira, de profissão doméstica, com 25 anos de idade, nascida no Ceará-mirim, onde se batizou em tenra infância, filha legítima de Antonio Francisco de Araújo e de Francisca Alcina de Araújo. Após o casamento, a nubente passou a assinar-se Ana Alcina Leitão de Almeida. O casamento realizou-se sem a comunhão de bens, por causa da idade do nubente. Já viviam maritalmente há sete anos e assim legitimaram perante a Igreja a sua união. Após o casamento lhes foi dado a benção nupcial. E para constar mandei lavras este termo em que assino. Monsenhor José Alves Ferreira Landim.

Joaquim Calistrato  Leitão de Almeida e Maria José da Costa Alecrim eram os pais de Boanerges Leitão de Almeida, pai do coronel Paulo Leitão de Almeida.

domingo, 18 de agosto de 2013

O  INSTITUTO NORTE-RIOGRANDENSE DE GENEALOGIA - INRG 
VOLTA A SE REUNIR (agosto 2013)

ORMUZ, ANTONIO LUIZ, GEORGE VERAS, ODÚLIO BOTELHO, JOÃO FELIPE, CARLOS GOMES E LUIZ GONZAGA CORTEZ TIVERAM UMA TARDE DE BONS PAPOS E ELABORAÇÃO DE NOVAS PERSPECTIVAS PARA OS TRABALHOS DA INSTITUIÇÃO.

FIQUEM ATENTOS PARA A PRÓXIMA CONVOCAÇÃO E PREPAREM SEUS TRABALHOS PARA A NOSSA REVISTA NÚMERO DOIS.

sábado, 17 de agosto de 2013

Francisco Pinto de Abreu e d. Maria Suzana Ferreira de Moura

Por João Felipe da Trindade

O prof. Francisco Pinto de Abreu era filho de Bernardo Pinto de Abreu, que tendo ido para Angicos cuidar da saúde, por recomendações médicas, terminou casando com minha tia-avó Águida Torres Avelino. Um dos registros de casamento de Francisco Pinto trago para este blog, por conter boas informações.

Aos dezessete de Julho de mil novecentos e onze, na Sé, perante as testemunhas Dr. Alberto Maranhão, governador do estado, e Coronel General Manoel Teixeira de Moura, presidente da Intendência, assisti o recebimento matrimonial do Dr. Francisco Pinto de Abreu com D. Maria Suzana Ferreira de Moura. Ele viúvo de d. Thereza de Mello Abreu e ela viúva do Dr. Francisco de Paula Salles. Ele natural de Campina Grande e ela de São Gonçalo e ambos residentes nesta Freguesia; do que mandei fazer este assento que assino. O vigário Cônego João Evangelista da Silva Castro.